domingo, 26 de março de 2017

América-MG: Vitória sobre o Tricordiano.

Apesar de o time americano ter goleado o Tricordiano por 3 a 0, ainda assim, deveria ter criado mais oportunidades e marcado mais gols.

Faltou uma opção mais qualificada que Juninho para iniciar a saída de bola, os laterais executarem as ultrapassagens e Renan Oliveira ser mais produtivo na criação das jogadas. Embora Blanco tenha participado do lance do primeiro gol, não estava com o dinamismo das partidas anteriores.

Christian, novamente o melhor em campo, merecia ter marcado o gol do meio-campo.

A teoria de que Hugo não pega na bola porque a bola não chega é furada. Rubens movimentou mais e foi muito mais participativo do que Hugo. Não teve foi oportunidade para finalizar.

Valeu pelos três pontos conquistados, pela goleada, porém precisa melhorar a saída de bola, aumentar a força criativa, diminuir o número de passes errados e os laterais buscarem a linha de fundo.

João Ricardo: Sem trabalho.

Alex Silva: Firme na defesa, mas precisa avançar mais a fim de fazer cruzamentos da linha de fundo.

Messias e Rafael Lima: Segurança defensiva nas bolas altas e rasteiras.

Pará: Quando avançou errou os cruzamentos.

Juninho: Mais produtivo nos desarmes.

Blanco: Menos dinâmico do que de costume. Fez assistência para Christian marcar o primeiro gol.

Christian: A cada jogo assume a titularidade. Bastante dinâmico, desarmou, marcou o primeiro gol no profissional, merecia ter marcado do meio-de-campo e participou da jogada do terceiro gol.

Renan Oliveira: Iniciou a jogada do primeiro gol. Depois passou mais para os lados em vez de assistências perfeitas. Muito pouco para quem deveria ser o principal criador do time.

Mike: Méritos pelo gol marcado, mas precisa ser mais agudo, finalizador e assistente.

Rubens: Boa movimentação, fez jogadas de pivô, abertura para os lados, porém não teve nenhuma oportunidade para concluir.

Auro: Avançou pouco. Só apareceu na frente na jogada do terceiro gol.

Magrão: Errou o último passe em alguns lances e perdeu um gol na jogada em que Rubens roubou do goleiro, mas aumentou a velocidade na saída de bola e iniciou jogadas que terminaram dentro da área.

Felipe Amorim: Participou da jogada do terceiro gol.

Enderson Moreira: A terceira mudança poderia ter sido o Matheusinho no lugar do Renan Oliveira. O time tem consistência defensiva, mas precisa de mais qualidade na transição ofensiva. O desafio do técnico ainda é extrair mais produtividade do Renan Oliveira ou encontrar outro meia com mais poder de criação. Também um lateral esquerdo, sem ser Pará e Ernandes.

AMÉRICA 3 X 0 TRICORDIANO

América:
João Ricardo;
Alex Silva, Messias, Rafael Lima e Pará (Auro);
Juninho, Gustavo Blanco (Magrão), Christian;
Renan Oliveira;
Mike e Rubens (Felipe Amorim)
Técnico: Enderson Moreira

Tricordiano:
Marcão, Marcelo Tchê, Augusto, Hitalo Rogério e Renan Luis (Jardiel); Léo Bartholo, Thiago Araújo, Edu Amparo; Gianlucas, Luis Felipe (Vitor) e Rodriguinho (Lessinho)
Técnico: Paulo Foiani

Gols: Christian, Mike e Magrão.

quinta-feira, 23 de março de 2017

América-MG: Pré-jogo Tricordiano

América x Tricordiano
sábado, 18h30, Arena do Coelhão

Objetivos:

Vencer e convencer ou ficar próximo de uma exibição convincente.
Saída de bola mais bem trabalhada em vez dos chutões do João Ricardo.
Postura ofensiva e controle do jogo.
Explorar as jogadas pelos lados com precisão nos cruzamentos.
Aumentar o número de passes certos, o poder de criação e finalização a fim de criar e aproveitar as oportunidades.

- Alex Silva e Christian devem ser mantidos. Alex Silva tem mais perfil de lateral do que Auro. Defende e ataca com mais intensidade. Tem altura na bola defensiva. Christian merce a permanência devido o desempenho contra o Tricordiano. Christian e Blanco poderão formar uma interessante dupla de volantes, com bastante movimentação para desarmar e avançar.

Opções:

- Manter o time que venceu o América-TO

- Magrão no lugar do Juninho.
4-4-2
Christian, Blanco;
Renan Oliveira, Magrão;
Mike e Hugo
ou
4-2-3-1
Christian, Blanco;
Mike, Renan Oliveira, Magrão;
Hugo

- Magrão no lugar do Pará

Alex Silva, Messias, Rafael Lima, Magrão

Outras alternativas:

Alex Silva, Messias, Rafael Lima, Magrão
Christian, Blanco;
Matheusinho(Tony), Renan Oliveira(Matheusinho);
Mike (Felipe Amorim), Hugo (Rubens)

- Adiantar Renan Oliveira no lugar do Hugo. Matheusinho ou Tony na armação.

- Auro na lateral-direita e Alex Silva na esquerda.

- Auro no lugar do Mike.

- Zé Ricardo ou Maktom no segundo tempo para pegar ritmo de jogo. Roger no banco.


segunda-feira, 20 de março de 2017

América-MG: Vitória sobre o América-TO

Valeu pelos três pontos conquistados fora de casa, pela organização tática e determinação dos jogadores. O time americano teve bastante consistência defensiva durante os 90 minutos. João Ricardo não precisou fazer nenhuma grande defesa. Na parte técnica, faltou mais força criativa e precisão no complemento das jogadas ofensivas. Renan Oliveira foi pouco criativo, Mike errou muitos passes e Hugo continuou mal posicionado.

A escalação do Christian entre os titulares foi o diferencial do Coelhão para superar as condições adversas e ganhar o jogo.

Com três volantes, Juninho ficou mais recuado, aberto pelo lado na saída de bola e centralizado na recomposição. Blanco teve mais liberdade para atacar pela direita e Christian jogou mais pelo centro e lado esquerdo. A jogada do primeiro gol, começou com um lançamento de pé esquerdo do Christian em profundidade para Blanco avançar pela direita e fazer assistência para Renan Oliveira finalizar. Foi a segunda assistência para gol feita pelo Blanco no Mineiro.

No primeiro tempo, a maioria das jogadas ofensivas foi pela direita, com as participações do Alex Silva, Blanco e Mike,movimentação intensa do Blanco e Christian e pouca agressividade pela esquerda.

Na segunda etapa, Pará, Renan Oliveira e as vezes Christian aumentaram um pouco a intensidade pelo lado esquerdo. Alex Silva e Blanco avançaram menos.

João Ricardo: Falhou na saída de uma bola cruzada.

Alex Silva: Defendeu e atacou, principalmente no primeiro tempo, com mais intensidade que Auro.
Na parte defensiva colaborou nas bolas altas.

Messias e Rafael Lima: Seguros nas bolas pelo alto e rasteiras. Messias fez duas finalizações certas de cabeça, numa delas o gol.

Pará: Não comprometeu na defesa. Quando avançou, errou os cruzamentos.

Juninho: Mais fixo na cabeça da área durante a recomposição. Nas poucas vezes que avançou, fez dois cruzamentos.

Blanco: Bastante ofensivo no primeiro tempo. Fez a assistência para o gol do Renan Oliveira e outras para Mike. No segundo tempo, diminuiu o ritmo ofensivo e acertou a primeira finalização nos jogos que disputou. Poderá ser mais produtivo e eficiente se continuar a jogar mais avançado e aumentar o número de finalizações.

Christian: Destaque do jogo por sido a novidade na escalação, ter desarmado, feito lançamentos, ter sido o responsável pelas cobranças de faltas e escanteios e por ter participado dos dois gols.

Renan Oliveira: Apesar de ter feito o primeiro gol, perdeu várias vezes a posse de bola e foi pouco criativo. Talvez seja mais eficiente se jogar quase de centroavante.

Mike: Participativo, mas com muitos erros nos passes, cruzamentos e finalizações.

Hugo: Precisa ser mais dinâmico e melhorar o posicionamento a fim de receber mais passes.

Tony: Entrou para rodar a bola. Teve uma chance para finalizar.

Marion e Renato Justi: Sem tempo.

Enderson Moreira: Apesar dos erros na formação da equipe, é um treinador trabalhador, que aos poucos melhora a consistência do time, pelo menos defensiva. Precisa qualificar a criação e os complementos das jogadas, principalmente os cruzamentos da linha de fundo e os acertos nos últimos passes. Mas ainda faltam reforços qualificados, principalmente para disputar a Série B.


AMÉRICA-TO 0 X 2 AMÉRICA

AMÉRICA-TO
Marcelo Carné; Gleisinho, Emerson, Diego Rosa e Bruno Barros; Kalú, Geovane, Pedrinho e Vitinho (Ramon); Edinho e Rogélio Ávila (Somália)
Técnico: Marcelo Buarque

AMÉRICA
João Ricardo;
Alex Silva, Messias, Rafael Lima e Pará (Renato Justi);
Juninho;
Blanco, Christian;
Renan Oliveira (Tony);
Mike (Marion) e Hugo
Técnico: Enderson Moreira

gols: Renan Oliveira e Messias.

sexta-feira, 17 de março de 2017

América-MG: Pré-jogo América-TO

Pré-jogo: América-TO x América

Campeonato Mineiro:

Objetivo: Superar as condições adversas de temperatura, aproveitar o desespero do adversário e a baixa qualidade técnica do adversário, e conquistar a vitória fora de casa.

Desfalques: Ernandes (machucado) e Magrão (suspenso).

Possibilidades de escalação:

João Ricardo;
Alex Silva, Messias, Rafael Lima e Pará;
ou
Auro, Messias, Rafael Lima e Alex Silva;

Juninho, Blanco;

Tony, Renan Oliveira e Marion;
Hugo
ou
Tony, Renan Oliveira;
Marion e Hugo
ou
Tony, Renan Oliveira;
Marion e Hugo
ou
Tony, Renan Oliveira;
Matheusinho e Hugo
Ou Tony, Renan Oliveira
Mike e Hugo

Ou
Tony, Renan Oliveira, Felipe Amorim
Hugo

Problemas:

Lateral-direita:

Auro tem características ofensivas, mas está preso na marcação sem avançar constantemente para fazer cruzamentos precisos.
Alex Silva precisa jogar para mostrar se tem condições de ser titular.

Lateral-esquerda:

Pará não justificou a titularidade, mas não tem outro na equipe. Ernandes também não é nem será solução.
Improvisar Alex Silva é uma alternativa.
Diego poderia ser promovido.

Volantes:
Pelo menos um dos volantes deve ficar mais bem posicionado na frente da zaga e na cobertura dos laterais. Os dois volantes não devem avançar ao mesmo tempo.
Christian poderia entrar no lugar do Juninho, mas sem necessidade de três volantes neste jogo. Uma dupla de volantes formada pelo Blanco e Christian deve ser bastante interessante, principalmente se for escalada na Arena do Coelhão.

Meio-campo:

Aproveitar a experiência do Tony para tentar colaborar na distribuição das jogadas com Renan Oliveira, que precisa aumentar os lampejos de produtividade. Ainda falta na equipe um meia-atacante, com mais poder de criação e finalização.

Ataque:

Matheusinho deveria ser opção mais avançada, sem posição fixa, com liberdade para atacar.
Rubens poderá ser opção de bolas altas cruzadas da linha de fundo pelos laterais e nos escanteios.
Mike foi contratado para jogar. Se não for escalado no Mineiro, dificilmente será aproveitado no Brasileiro.
Felipe Amorim para pegar ritmo de jogo depois da contusão.
Marion é opção de velocidade, mas precisa acertar o complemento das jogadas.

Equipe: O time americano ainda não tem 11 titulares.

segunda-feira, 13 de março de 2017

América-MG: Derrota para o Cruzeiro

O clássico foi nivelado por baixo. Nos primeiros 15 minutos, o Cruzeiro criou três oportunidades e marcou o gol da vitória. Depois teve mais uma chance aos 30 minutos. No segundo tempo, mais pela desaceleração do adversário do que méritos americanos, o Coelhão teve um pouco mais de posse de bola, jogou mais no campo do adversário, porém só criou duas chances, quase seguidas para marcar, na cabeçada do Renan Oliveira, única participação do jogador na partida, e na finalização de longa distância do Hugo. Após os 20 minutos, o time americano continuou tentando, mas sem efetividade, com muitos erros nos cruzamentos, último passe e nas cobranças dos escanteios.


João Ricardo: Não foi exigido porque os adversários erraram as finalizações ou chegaram atrasados em pelo menos quatro oportunidades.

Auro: Demonstrou habilidade em lances isolados, mas faltou mais técnica e ousadia para buscar a linha de fundo, ainda mais na função de ala.

Messias e Rafael Lima: Foram mais eficientes quando formaram a dupla de zaga nos jogos anteriores.

Renato Justi: No lance do pênalti chegou atrasado no deslocamento do Sobis e depois da falta ficou olhando para o juiz esperando a definição do lance.

Pará: Foi mais participativo do que o Auro na parte ofensiva, mas nada acrescentou.

Blanco: O jogador do meio que mais apareceu, porém jogou praticamente sozinho.

Juninho: Pouco acrescentou.

Magrão: Nas partidas anteriores, quando jogou quase de ponta, foi mais produtivo. Menos agudo trocou passes pelo lado. Errou a maioria dos escanteios.

Renan Oliveira: Só apareceu na cabeçada para o gol. Muito pouco para quem tem a responsabilidade, ou deveria ter, de comandar o ritmo do time.

Hugo: Uma finalização de longa distância

Marion: Chegou a linha de fundo e novamente errou os cruzamentos

Rubens: Uma jogada dentro da grande área e finalização de pé esquerdo.

Enderson Moreira: Para o Alex entrar, deveria ter entrado no lugar do Renato Justi. Mas para o lugar de um zagueiro ou do Renan Oliveira, a opção deveria ser o Matheusinho ou Mike.

Mike foi contratado para não jogar?

AMÉRICA
João Ricardo;
Messias, Rafael Lima, Messias (Alex Silva), Renato Justi;
Auro, Juninho (Rubens), Blanco, Magrão e Pará (Marion);
Renan Oliveira e Hugo;
Técnico: Enderson Moreira

CRUZEIRO
Rafael; Ezequiel, Leo, Manoel e Diogo Barbosa;
Henrique, Ariel Cabral, Robinho e Thiago Neves (Alisson);
Arrascaeta (Rafinha) e Rafael Sobis, (Ramón Ábila)
Técnico: Mano Menezes

Gol: Rafael Sobis

quarta-feira, 8 de março de 2017

América-MG: Pré-jogo América x Cruzeiro.

Pré-jogo América x Cruzeiro:

Domingo, 16h, Arena do Coelhão

Provável ausência: Ernandes

Opções para qualificar a lateral-esquerda:
- Alex Silva e Magrão

Possibilidades de formação:

João Ricardo;
Alex Silva (Auro), Messias, Rafael Lima, Magrão;

Losango no meio-campo:
Jataí
Blanco, Juninho;
Renan Oliveira;

ou

Juninho;
Blanco, Tony;
Renan Oliveira;

ou

Auro na direita, Alex Silva na esquerda, Magrão no meio
Juninho
Blanco, Magrão;
Renan Oliveira

na frente:
- Matheusinho sem posição fixa, invertendo os lados e infiltrando pela diagonal.
- Hugo

Praticamente um 4-4-2, com o avanço dos laterais e a cobertura dos volantes ou para fazer a inversão, com um dos volante avançando pelo lado e o lateral recuado.

ou

João Ricardo;
Auro, Messias, Rafael Lima, Alex Silva
Juninho, Blanco;

Renan Oliveira, Magrão;
Matheusinhho e Hugo
Preferencialmente para Matheusinho não precisar voltar tanto para marcar.
ou
Matheusinho, Renan Oliveira, Magrão
Renan Oliveira, Matheusinho, Magrão

Hugo

A lógica do Matheusinhho:

- Precisa ter oportunidades para aprimorar.
- Não necessariamente ser titular
- Mas só perder a titularidade para quem estiver bem mais produtivo e eficiente do que ele. No momento não tem esse jogador com alto desempenho entre os titulares e muito menos entre os reservas.


Mais opções de mudanças:

Tony, Rubens e velocidade do Marion.


segunda-feira, 6 de março de 2017

América-MG: Vitória sobre o Uberlândia

América 1 x 0 Uberlândia

Confronto nivelado por baixo, com pouca produtividade ofensiva de ambos os times, tanto é que os dois goleiros não foram exigidos. O time americano teve dificuldades na saída de bola e fez ligação direta na maioria das jogadas através dos chutões do João Ricardo. Auro e Pará fizeram poucas ultrapassagens e cruzamentos da linha de fundo. Pará avançou mais e errou mais. Matheusinho e Renan Oliveira não conseguiram criar jogadas, mas faltaram laterais ofensivos, atacante veloz e habilidoso de lado e centrovante mais dinâmico para ser acionados. Magrão foi o que mais buscou o jogo pelo lado esquerdo. A entrada do Tony e Marion não melhorou o desempenho, ainda mais que Magrão saiu da ponta e sumiu do jogo. Talvez tivesse sido mais eficiente, a entrada do Marion no lugar do Pará, com Magrão recuado para a lateral e Matheusinho no centro. A escalação de uma linha de três meias formada pelo Matheusinho, Renan Oliveira e Magrão, sem as ultrapassagens dos laterais, limita o poder ofensivo. Venceu, mas precisa evoluir na transição, na criação e aumentar o poder de finalização.

Pontos negativos:

- Apesar da segunda vitória consecutiva, não houve domínio do América sobre um adversário que deve disputar a Série D.
- Saída de bola através dos chutões do João Ricardo
- Poucas ultrapassagens dos laterais
- Pouca criatividade e baixo poder ofensivo
- Falta de peças de reposição qualificadas.

Pontos positivos:

- Três pontos
- segunda vitória em casa
- João Ricardo não foi obrigado a fazer nenhuma defesa salvadora.
- Segurança defensiva do Messias e Rafael Lima.
- Posicionamento dos volantes Jataí e Juninho, que não avançaram tanto.

João Ricardo: Pouco exigido.

Auro: Apesar de ter características ofensivas, defendeu mais do que atacou.

Messias e Rafael Lima: Ganharam a maioria das jogadas por cima e por baixo. Destaque para o Rafael Lima pelo gol marcado.

Pará: Falhou na defesa e nas poucas vezes que tentou avançar.

Jataí: Posicionamento de primeiro volante.

Juninho: Sem correr tanto, sem avançar tanto, foi mais eficiente.

Matheusinho: É o jogador que mais tem direito ao erro porque tem o álibi da idade, ainda está em processo de aprendizado e evolução. Deveria jogar mais próximo do ataque, sem posição fixa, e com mais opções de tabela.

Renan Oliveira: É o jogador que menos tem direito ao erro porque é o principal responsável para chamar a responsabilidade e comandar o ritmo do time, mas também faltaram mais opções ofensivas para serem acionadas.

Magrão: Foi o que mais procurou o jogo pelo lado esquerdo.

Hugo: Fez uma boa virada para gol, mas segura pouca a bola para fazer o pivô ou tabelas. Não ganha uma bola pelo alto.

Tony: Pouco acrescentou. Errou um cruzamento.

Marion: Buscou a linha de fundo, mas errou os cruzamentos.

Christian: Sem tempo.

Enderson Moreira: Precisa treinar a saída de bola sem ser por chutões. Achar uma solução para os três meias não jogarem na mesma linha, porém falta um atacante de lado. Mike ainda não foi utilizado. Marion é mais esforçado que talentoso. Felipe Amorim não é tão ofensivo.

América:
João Ricardo; 

Auro, Messias, Rafael Lima e Pará; 
Jataí (Christian), Juninho;
Renan Oliveira (Tony); Matheusinho (Marion) e Magrão;
Hugo.
Técnico: Enderson Moreira


Uberlândia:
Thiago Braga; Cesinha, Mauro Viana, Robinho e Vandinho; João Paulo, Alê (Marco Goiano), Rodney e Diogo Peixoto; Jefersom Berger (Marcos Nunes) e Shumacher (Reinaldo Alagoano).
Técnico: Paulo Cezar Catanoce


Gol: Rafael Lima, aos 23' do 1ºT