quarta-feira, 24 de maio de 2017

América-MG: Pré-jogo Criciúma

Pré-jogo Criciúma x América: Na terceira rodada da Série B, o América ainda repete o erro de formar o time durante a competição. Necessidades de melhoria: - Consertar o defeito defensivo e ofensivo das laterais ou pelo menos da lateral direita. - Deficiência na bola alta defensiva porque só Messias e Rafael Lima são altos. - Reposicionamento nas jogadas de contra-ataque. - Aumentar o poder criativo, a produtividade ofensiva e a efetividade das finalizações. Norberto deverá ser a novidade na lateral direita. Caso Giovanni esteja pronto para estrear, poderá ser o lateral-esquerdo. Messias e Rafael Lima deverão formar a dupla de zaga. Christian merece recuperar a titularidade na vaga do Juninho e formar dupla de volantes com Blanco. Aliás, Christian poderá ter a dupla missão de ser um facilitador na saída de bola do João Ricardo e, por ter mais potencial ofensivo que Blanco, também participar dos lances ofensivos, além de revezar com Magrão nas cobranças de faltas e escanteios. Zé Ricardo treinou na função de volante. Também tem bastante potencial, mas por merecimento e por ter subido antes, deveria ser o Christian porque estava bem quando perdeu a titularidade e ainda jogou bem improvisado na lateral. Christian poderia ter jogado mais vezes no ano passado. Zé Ricardo poderia ter subido antes de completar 20 anos., na primeira fase da transição. Ambos poderiam ter jogado mais vezes no Mineiro 2017. Ainda tem o Renato Bruno, que se precisar pode ser o meia-atacante pela direita. Luan deve ser experimentado pelo lado direito no lugar do Felipe Amorim e formar a linha dos três meias com Ruy, que demonstrou poder de finalização contra o Goiás, mais centralizado e agudo, e Magrão aberto na ponta esquerda. Bill, na função de centroavante poderá prender a zaga adversária e abrir espaços para as infiltrações dos meias e volantes e também aproveitar as assistências e cruzamentos da linha de fundo. João Ricardo; Norberto, Messias, Rafael Limas, Giovanni (Ernandes); Christian, Blanco; Felipe Amorim (Luan), Ruy, Magrão; Bill Opções: Zé Ricardo, Hugo Cabral, Renan Oliveira, Tony, Willian, Matheusinho

segunda-feira, 22 de maio de 2017

América 2 x 1 Tupinambás

Apesar de o América Feminino ter utilizado um time alternativo, na vitória por 2 a 1 sobre o Tupinambás, a partida foi bastante disputada, com predominância ofensiva do time americano.

As adversárias abriram o placar, na única bola que foi ao gol da Camila. Uma atacante recebeu livre de marcação e na saída da Camila tocou para a Andreza empurrar para o gol.

As americanas buscaram o empate, mas com poucas finalizações.

Fernanda, um dos destaques do jogo nas rebatidas defensivas e até nas jogadas ofensivas, marcou um gol de cabeça, anulado pelo árbitro, que indicou apoio na adversária.

Se as cobranças dos arremessos laterais ofensivos fossem na direção da  área ou quem recebesse estivesse em condições de fazer a infiltração, talvez o poder de finalização ficasse maior. Até um pênalti na disputa de bola poderia ser marcado.

No segundo tempo, a entrada da Dilene, Tábata e Patrícia desequilibrou a partida. O gol de empate foi numa jogada individual da Dilene, que invadiu a área pelo lado esquerdo e chutou cruzado. Tábata fez o lançamento para Patrícia, no lado direito entrar na área, tocar por cima da goleira e marcar o gol da vitória.

Na próxima quarta-feira, o América enfrenta a Portuguesa-SP, às 20h, no Baleião, pelo Brasileiro Feminino A2.

América:
Camila;
Rosinha, Fernanda, Mariana, Lo;
Hingredy, Amanda (Maria, Patrícia), Daniela Bruna;
Bia (Thalita), Rayane (Dilene), Izabela (Tábata)
Técnico Victor Alberice

Copa BH Feminina

sábado, 20 de maio de 2017

América-MG: Empate com o Goiás

A bola puniu. O América teve proposta ofensiva, domínio do jogo, criou oportunidades de finalização, mas sofreu o gol de empate, aos 38 do segundo tempo, numa jogada de contra-ataque, com baixa velocidade de recomposição defensiva.

Foram sete finalizações certas e 13 erradas, enquanto o adversário acertou três e errou 5. Felipe Amorim, Magrão e Ruy foram os que mais finalizaram certo. Duas vezes cada um.

Magrão e Ruy foram os mais produtivos e eficientes. Ambos finalizaram e Magrão fez a assistência para Ruy marcar o gol.

O setor defensivo falhou em duas jogadas pelo alto no primeiro tempo.

Bill prendeu a marcação e abriu espaços para os meias finalizarem e infiltrarem dentro da área.

Um dos lances decisivos do jogo poderia ter sido a assistência do Luan para o Ruy, livre de marcação, porém Luan esticou o passe e facilitou para o goleiro.

Outro lance foi o lançamento do Ernandes para Ruy, livre de marcação, dominou errado e a bola bateu na mão.

A jogada do gol do empate começou com o erro do Messias na cobrança de falta, Rafael Lima ou Ernandes não cortou o cruzamento rasteiro, Messias deu carrinho para trás, João Ricardo salvou e na sobra o atacante, sem marcação, fez o gol. Também houve demora na recomposição defensiva.

Como é praticamente impossível jogar em alta intensidade o tempo todo, o time americano deveria valorizar mais a posse de bola em determinados momentos.

Provavelmente a tendência será o time ficar mais encorpado nos próximos jogos, principalmente se Norberto e Giovanni forem produtivos e efetivos ofensivamente.

João Ricardo: Uma defesa em um chute de longa distância e outra numa cabeçada do Thiago Luiz.

Christian: Apesar de improvisado foi o lateral direito de melhor desempenho neste ano.

Messias: Errou a cobrança de falta que originou o contra-ataque e foi infeliz na tentativa de cortar o cruzamento na sequencia da jogada, mas acertou desarmes e finalizações.

Rafael Lima: Ele ou Ernandes poderia ter evitado o cruzamento rasteiro no gol de empate.

Ernandes: Mais eficiente no no setor defensivo. Ele ou Rafael Lima poderia ter cortado o cruzamento rasteiro no gol de empate.

Juninho: Mais eficiente antes do meio-campo.

Blanco: Rendeu mais no primeiro tempo. O desempenho ofensivo caiu um pouco no segundo tempo.

Felipe Amorim: Participativo, mas pouco efetivo.

Ruy: Participativo, finalizou de fora e dentro da área.

Magrão: Bastante competitivo, fez assistências e finalizou.

Bill: Pegou pouco na bola, mas teve chance para marcar e deu trabalho para os marcadores que constantemente ficaram presos na marcação.

Zé Ricardo: Desarmou e tentou avançar.

Luan: Errou um passe para Ruy e uma virada de jogo.

Marion: Nada acrescentou.

Enderson Moreira:

O time manteve o padrão tático, fez a proposta do jogo e foi ofensivo. Em vez do Marion, Hugo cabral poderia ter entrado.

América:

João Ricardo;
Christian, Rafael Lima, Messias e Ernandes;
Juninho (Zé Ricardo), Gustavo Blanco,
Felipe Amorim (Luan), Ruy, Gérson Magrão (Marion);
Bill
Técnico: Enderson Moreira

Goiás
Marcelo Rangel, Tony, David Duarte, Alex Alves e Carlinhos; Willians, Elyeser (Jean Carlos), Léo Sena e Tiago Luis (Aylon); Carlos Eduardo (Michael) e Léo Gamalho
Técnico: Sérgio Soares

Gols: Ruy, aos 9' do 2ºT (América); Jean Carlos, aos 38' do 2ºT (Goiás)

quinta-feira, 18 de maio de 2017

América-MG 2 x 0 Adeco-SP

América-MG 2 x 0 Adeco-SP
Brasileiro Feminino A2

No primeiro tempo, o América com bastante determinação dominou completamente o Adeco. A proposta de jogo foi do time americano, que praticamente atuou no campo do adversário.

Mayara, Bruna Rebelde, improvisada na zaga, Alexia e Beiral formaram a primeira linha defensiva, próxima da divisória do meio-campo. Patrícia e Nathália mais adiantadas e Aninha próxima da intermediária, com Rhayane pela direita, Dilene centralizada e Tábata pela esquerda.

Aninha foi a que mais finalizou de longa distância. As chances mais claras de gols foram em bolas altas cruzadas dentro da área.

Tábata marcou o primeiro gol quase no fim da primeira etapa.

Adeco só finalizou uma fez para a defesa da Camila.

Tábata também marcou o segundo gol, dessa vez no início do segundo tempo.

Depois de ter sofrido o segundo gol e com uma jogada a menos, as adversárias foram mais ofensivas e equilibraram a partida por alguns momentos, quando Camila fez defesas salvadoras e evitou até o empate.

O América ainda criou chances nas finalizações de Bia, Daniela Bruno e falta de longa distância cobrada pela Bruna Rebelde e rebatida pela goleira.

De acordo com Carlinhos, o historiador do América, Tábata completou 22 gols e entrou para a lista dos 100 maiores artilheiros do América, dividindo a posição 93.

América Feminino:
Camila;
Mayara, Bruna Rebelde, Alexia, Beiral;
Patrícia, Nathália, Aninha (Bia);
Rhayane (Lo), Dilene (Daniela), Tábata
Treinador: Victor Alberice

Gols: Tábata (2)

quarta-feira, 17 de maio de 2017

América-MG: Pré-jogo Goiás

América x Goiás

Pré-jogo

Objetivos:
- Conquistar a vitória dentro de casa.
- Melhorar o desempenho defensivo e ofensivo dos laterais.
- Aumentar o poder de criação
- Aumentar a força ofensiva e o pode de decisão
- Manter a regularidade da dupla de zaga

Momento de decisão:

Independentemente da falta de entrosamento, Enderson Moreira deve optar pela escalação de alguns contratados, caso estejam liberados pelo BID.

O time americano teve problemas defensivos e ofensivos nas laterais, baixa criatividade do principal articulador e pouca força ofensiva.

Nas laterais, Norberto e Giovanni, no setor ofensivo, Luan e Bill, deverão ter prioridade entre os titulares.

Certeza da dúvida:

Quem será o principal articulador? Renan e/ou Ruy?

Tony vai recuperar o futebol de 2015 a fim de disputar a titularidade?

Quem será o meia-atacante ou atacante pela direita?
Hugo Cabral? Renan? Christian? Felipe Amorim? Mike? Renato Bruno?

Apesar das oito contratações, ainda assim, faltou um meia centralizado com poder de finalização e um meia-atacante pelo lado direito, caso o Hugo Cabral atue mais pela esquerda.

Alternativas de escalação:

Mais conservadora no 4-2-3-1 variando para 3-4-3 na saída de bola e 4-1-4-1.

João;
Norbeto, Messias, Rafael, Giovanni (Magrão);
Juninho; Blanco;
Renan Oliveira, Ruy, Luan (Magrão);
Bill

Ou um esquema parecido com o 4-4-2 variando para o 3-5-2.

João;
Norberto, Messias, Rafael, Giovanni (Magrão);
Juninho (Christian), Blanco;
Renan e Magrão (Ruy)
Bill e Luan;

Obs.: Christian merece ser titular, mas está voltando de contusão.

ou no 4-3-3

João;
Norberto, Messias, Rafael, Giovanni (Magrão);
Christian, Blanco e Renan (Ruy);
Hugo Cabral, Bill e Luan

Mais opções:

Felipe Amorim, Matheusinho, Tony e Willian.

Vale lembrar que Matheusinho está no primeiro passo da transição, antes dos 20 anos. Se continuar tendo chances, preferencialmente centralizado, vai começar a ficar pronto antes dos 23 anos, no segundo passo da transição.




domingo, 14 de maio de 2017

Caucaia-CE 3 x 2 América-MG

Caucaia 3 x 2 América

O América Feminino estreou no Brasileiro A2 sem contar com as campeãs mineiras:

- Aline Guedes, Carol, Daniela, Isabela, Modelo, Thayane e Thais.

Aline Guedes saiu porque não conseguiu conciliar o trabalho com os horários de treinos e jogos.

As outras jogadoras tiveram propostas de outros clubes durante a indefinição do conselho de administração sobre a continuação do futebol feminino. Vale lembrar que os contratos terminaram em outubro de 2016 e foram reativados em fevereiro de 2017.

Na partida contra Caucaia, a primeira linha defensiva formada por quatro jogadoras ficou adiantada e com baixa velocidade de recuperação. Os rápidos contra-ataques com lançamentos nas costas das defensoras foram bastante explorados pelas adversárias. Ainda no primeiro tempo, depois da saída da Hingridy, Bruna Rebelde passou a jogar na zaga e Patrícia mais adiantada.

O América também teve dificuldade na saída de bola e muitas vezes a tentativa de transição foi mais através de ligação direta do que troca de passes pelo chão.

Em determinados momentos, as quatro jogadoras mais ofensivas ficaram distantes uma das outras. Aninha ficou recuada, distante da Rayane pela direita, Tábata pela esquerda e Dilene pelo centro.

Talvez futuramente seja mais produtivo utilizar Rayane centralizada e avançada, com Dilene e Tábata pelos lados, na mesma linha da Aninha pelo centro, com Bruna Rebelde e Nathália na dupla de volantes.

O primeiro gol sofrido foi de pênalti, aos 6 minutos. O segundo, aos 16. Nas duas jogadas, a adversária infiltrou rapidamente dentro da área, sem recuperação das defensoras.

O América só ameaçou aos 26 e 27, com Rayane.

Aos 32, Camila fez uma defesa salvadora e aos 44 Dilene marcou de pênalti o primeiro gol.

Aos cinco minutos da segunda etapa, numa jogada rápida de contra-ataque, Camila salvou novamente e no rebote a bola sobrou para a adversária dividir com Mayara e marcar o terceiro gol.

Ainda assim, as americanas continuaram buscando o gol. Aos 10 minutos, Dilene bateu pênalti, a goleira defendeu e Nathália aproveitou a rebatida.

O jogo estava equilibrado, com possibilidades de empate e até vitória americana, mas aos 20, em  jogada de contra-ataque, o time adversário teve chance de ampliar. Aos 22, em jogada semelhante, Mariana Pires foi expulsa.

Após a expulsão, Nathália recuou para recompor a defesa e as adversárias tiveram mais chances para marcar. Camila salvou duas vezes e a jogadora do Caucaia, livre de marcação, furou uma finalização.

Aos 40 minutos, foi a vez da goleira adversária defender uma conclusão da Dilene.

O América lutou até o fim, mas não conseguiu evitar a derrota. Os gols sofridos no início das duas etapas, ausência da Fernanda na zaga, expulsão da Mariana Pires também foram alguns fatores adversos que dificultaram a reação do time americano.

América Feminino
Camila;
Mayara, Hingridy (Patrícia), Mariana Pires, Beiral (Lo)
Bruna, Nathália, Ana;
Rayane (Bia), Dilene, Tábata
Gols: Dilene e Nathália
Técnico: Victor Alberice


sábado, 13 de maio de 2017

América-MG: Empate com o Náutico

Náutico 0 x 0 América:

O Coelhão desperdiçou grande oportunidade para conquistar a vitória na condição de visitante. Apesar de a proposta do Náutico ter sido defensiva, o América, mais devido aos próprios erros do que a eficiência da marcação adversária, teve poucas oportunidades para finalizar,

Faltou capacidade para transformar o falso domínio, com mais posse de bola, em chances de gol. Foram só duas finalizações certas e sete erradas, quatro cruzamentos certos e vinte errados.
Ainda assim, duas finalizações certas, um chute de fora da área do Magrão e uma cabeçada do Ernandes, e quatro erradas no primeiro tempo.

No segundo tempo, o rendimento ofensivo piorou. Três finalizações erradas. A única oportunidade mais clara foi quase no fim do jogo, quando Felipe Amorim sem marcação finalizou errado.

A equipe americana vai precisar de outro meia centralizado, mais agudo, com repertório variado e poder de finalização para comandar o ritmo do time na Série B.

João Ricardo: Só uma defesa. Fez lançamentos diretos para a lateral.

Alex Silva e Ernandes: Foram pouco exigidos na marcação, mas improdutivos no apoio pelas laterais e nos cruzamentos da linha de fundo. Alex Silva errou mais passes.

Messias e Rafael Lima: Quando exigidos, foram bem, principalmente Messias.

Juninho: Se limitou a participar do combate.

Blanco: Tentou aumentar a força ofensiva, mas sem sucesso.

Matheusinho: Jogou muito aberto pelo lado e errou passes.

Ruy: Longe de ser o principal articulador do time. Pareceu ser um meia que não infiltra na área.

Magrâo: Participativo, mas com muitos erros nos cruzamentos, escanteios e cobranças de faltas.

Pilar: Pouco participativo.

Felipe Amorim: Só apareceu na oportunidade perdida.

Renan Oliveira e Hugo Cabral: Pouco acrescentaram.

Enderson Oliveira: As três mudanças feitas não modificaram o baixo desempenho do time porque os laterais continuaram improdutivos no apoio, Ruy e Renan Oliveira não aumentaram a criatividade do time e Magrão continuou a errar os cruzamentos.

Náutico:
Tiago Cardoso (Jeferson);
David, Tiago Alves, Nirley e Manoel;
Darlan, João Ananias, Cal, Jefferson Nem (Jeferson Renan) e Erick (Giva) e Alison
Técnico: Waldemar Lemos

América:
João Ricardo;
Alex Silva, Rafael Lima, Messias e Ernandes;
Juninho, Gustavo Blanco,
Matheusinho (Felipe Amorim), Ruy (Renan Oliveira), Gérson Magrão;
Pilar (Hugo Cabral)
Técnico: Enderson Moreira