terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

América-MG: O posicionamento avançado do Matheusinho nas categorias de base do Coelhãozinho e nas seleções sub-17 e 20 deve ser utilizado no profissional.

Avacoelhada
O posicionamento avançado do Matheusinho nas categorias de base do Coelhãozinho e nas seleções sub-17 e 20 deve ser utilizado no profissional. Neste momento da transição, a potencialidade do atleta em formação precisa ser explorada. Matheusinho se destacou pelas características ofensivas de receber a bola na intermediária adversária e partir em direção ao gol a fim de tentar o drible ou trocar passes ou finalizar. O desgaste físico provocado pelo recuo excessivo e o esforço na marcação devem ser evitados. Contra o Tombense, Renan Oliveira deveria ter recuado para trabalhar a saída de bola. Tony entrou, e o adversário continuou com mais volume de jogo até sofrer o segundo gol. A saída de bola foi ligação direta. Houve muitos erros de passes e cruzamentos. Valeu pelo resultado, mas, contra o Uberlândia, um vitória convincente é obrigação.

http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/a-voz-da-arquibancada/a-voz-da-arquibancada-1.1441490

segunda-feira, 27 de fevereiro de 2017

América-MG: Vitória sobre o Tombense.

Tombense teve mais posse de bola, trabalhou melhor a saída do jogo, mas não conseguiu transformar o volume de em oportunidades reais de gols. O time americano abusou da ligação direta por meio dos chutões do João Ricardo, errou muitos passes e cruzamentos.
Só depois de ter marcado o segundo gol, criou mais chances de gol. 

No primeiro tempo, Renan Oliveira deveria ter recuado para inverter a posição com Matheusinho, no início das jogadas. A maioria das jogadas foi pelo lado direito, com Felipinho e Matheusinho. No lado esquerdo, Ernandes não avançou e Magrão despareceu depois do primeiro gol.

No segundo tempo, houve mais jogadas pelo lado esquerdo com Magrão, porém errou vários cruzamentos seguidos e o adversário continuou superior até sofrer o segundo gol. 
Após este gol, o Coelhão teve chances de ampliar, duas com Magrão, que errou o complemento das jogadas e uma com Juninho. 

Messias mereceu a escolha de melhor em campo pela Itatiaia. Teve uma falha no primeiro tempo, mas ganhou a maioria das jogadas pelo alto e pelo chão. 

O América venceu, aliviou a pressão até no Mineiro, mas precisa evoluir muito.

Com tempo para treinar e descansar, uma vitória convincente sobre o Uberlândia será obrigatória. 

João Ricardo: Uma importante defesa no primeiro tempo.

Felipinho: Estreou bem e foi participativo no primeiro tempo com Matheusinho.

Messias: Cada vez mais próximo de se tornar realidade.

Rafael Lima: Seguro nos lances exigidos.

Ernandes: Na defesa, foi envolvido pelos adversários. No ataque nada acrescentou.

Juninho e Blanco: Movimentação constante no campo inteiro. Pelo menos um deveria ter recuado para colaborar na saída de bola. Juninho participou do primeiro gol e fez uma finalização no segundo tempo. 

Renan Oliveira: Pouco acionado no primeiro tempo. Acertou alguns passes no segundo. Mas para quem tem a responsabilidade de ser o principal criador da equipe precisa ser muito mais produtivo e eficiente.

Matheusinho: Perdeu a posse de bola, mas só teve Felipinho de opção para trocar passes. Deveria ter sido invertido com o Renan.

Magrão: Fez o primeiro gol, mas foi pouco participativo no primeiro tempo. No segundo tempo, participou mais vezes das jogadas ofensivas, porém com erros nos complementos das jogadas.

Hugo: Teve dificuldades para dominar a bola e fazer o pivô. Está sem tempo de bola nos lançamentos pelo alto.

Tony: Pouco acrescentou até fazer o passe para Christian sofrer o pênalti. 

Christian: Colaborou na defesa e avançou para sofrer o pênalti. 

Marion: Nada acrescentou.



AMÉRICA 2 x 0 TOMBENSE

América:
João Ricardo; 
Felipinho (Christian), Messias, Rafael Lima e Ernandes; 
Juninho, Blanco;
Matheusinho (Tony), Renan Oliveira (Marion), Magrão;

Hugo

Técnico: Enderson Moreira

Tombense
Darley; 
Gedeílson, Wellington Carvalho, Matheus Lopes e Mateus Oliveira; 
Natan, Pedro Castro, Jonathan e João Paulo; 
Tauã (Matheus Henrique) e Daniel Amorim (Alex)
Técnico: Raul Cabral

Gols: Magrão, aos 5' do 1ºT, e Hugo Almeida, aos 32' do 2ºT (América)
Cartões: Magrão, Tony e Gustavo Blanco (América); Matheus Lopes (Tombense)


Público: 1.044
Renda: R$ 8.871,00

domingo, 26 de fevereiro de 2017

América-MG: Um dos poucos acertos do América em 2016 foi a profissionalização do futebol feminino.

Avacoelhada
Um dos poucos acertos do América em 2016 foi a profissionalização do futebol feminino. No entanto, após as conquistas de forma invicta da Copa BH e do Mineiro, o contrato da equipe terminou em outubro e ainda não foi renovado. Alguns torcedores podem alegar que os recursos financeiros devem ser economizados para o masculino. Entretanto, se o custo do feminino fizer diferença para melhorar o desempenho do masculino, as possibilidades de campanhas vitoriosas do Coelhão serão mínimas. Com a demora da liberação da verba para o feminino, Carol, Dilene, Isabela, Modelo e Thyane foram contratadas por outros clubes para disputar o Brasileiro. Ainda assim, a fim de conquistar o bicampeonato estadual, disputar o nacional e colaborar na divulgação do América, a capacidade de reconstrução do elenco, com remanescentes e novatas, é bastante promissora.

http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/a-voz-da-arquibancada/a-voz-da-arquibancada-1.1440572

sábado, 25 de fevereiro de 2017

América-MG: O desempenho dos sub-23 de outros clubes é parecido com o rendimento dos formados pelo Coelhãozinho.

Avacoelhada
O desempenho dos sub-23 de outros clubes é parecido com o rendimento dos formados pelo Coelhãozinho. Uns aceleram o desenvolvimento, outros só começam a ficar mais bem preparados depois dos 23 anos, e alguns estacionam na evolução profissional. Apesar de Enderson Moreira ter declarado que atletas sub-23 não devem ter a responsabilidade do protagonismo, foram contratados cinco jogadores em formação. Alex Silva, Auro, Blanco, Mike e Pará foram emprestados pelos clubes de origem para pegar experiência no América. No complemento do elenco, faltam suportes consistentes. Renan Oliveira tem habilidade e técnica, mas não manteve a regularidade nas equipes anteriores nem pode ser o único responsável pela criação. Felipe Amorim, Magrão e Tony nunca foram protagonistas. Ernandes, Juninho, Marion e Renato Justi são esforçados, porém limitados.

http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/a-voz-da-arquibancada/a-voz-da-arquibancada-1.1440117

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

América-MG: A precoce eliminação na Copa do Brasil refletiu os previsíveis erros deo Drubscky e envolvidos no planejamento do elenco.

Avacoelhada
Depois da decepcionante e vergonhosa campanha no Brasileirão de 2016, quando o Coelhão terminou na lanterna do torneio, o desapontamento continuou. Em vez de tentar popularizar a torcida, a prioridade deveria ser montar uma equipe competitiva, com capacidade para brigar pelos títulos em todas as competições disputadas. Os 198 americanos presentes no clássico contra o Atlético no Mineirão representaram a falta de confiança da maior parte da torcida nas decisões do Conselho Administrativo e dos responsáveis pelo futebol. Após a goleada para o rival, o América conseguiu a proeza de empatar no tempo normal com o Murici e ser eliminado nos pênaltis. Vencer o Murici é obrigação até do Coelhãozinho sub-20, em quaisquer circunstâncias. A precoce eliminação na Copa do Brasil refletiu os previsíveis erros deo Drubscky e envolvidos no planejamento do elenco.

http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/a-voz-da-arquibancada/a-voz-da-arquibancada-1.1439634

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

América-MG: O elenco americano precisa de reforços qualificados, em pelo menos sete posições.

Avacoelhada
A Série B começará em maio e o Náutico será o primeiro adversário. Os erros do Conselho Administrativo ocorridos na formação da equipe para disputar o Brasileirão de 2016 devem ser evitados. O elenco americano precisa de reforços qualificados, em pelo menos sete posições, que apresentaram irregularidades nas rodadas iniciais da Copa do Brasil, Mineiro e Primeira Liga. Os três laterais são inexperientes. Na direita, Auro tem mais potencial ofensivo do que defensivo; Alex Silva pouco atuou, mas tem histórico de contusões. Na esquerda, Pará é o único de origem. Também a necessidade de um quarto zagueiro mais bem preparado que Renato Justi; um primeiro volante eficiente no desarme; um meia criativo com repertório variado; um atacante de lado com poder de finalização; e um centroavante decisivo. Todos capacitados e experientes nas séries A e B.

http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/a-voz-da-arquibancada/a-voz-da-arquibancada-1.1439132

quarta-feira, 22 de fevereiro de 2017

América-MG: Apesar das 13 primeiras contratações, a manutenção do Ernandes na equipe e a readmissão do Juninho, o América ainda não tem 11 jogadores qualificados para formar o time titular.

Avacoelhada
Apesar das 13 primeiras contratações, a manutenção do Ernandes na equipe e a readmissão do Juninho, o América ainda não tem 11 jogadores qualificados para formar o time titular. Disputar três competições simultâneas evidenciou a fragilidade do elenco americano. Mesmo assim, vencer o Murici pela Copa do Brasil é obrigação até do Coelhãozinho sub-20. Oportunidade para Enderson Moreira tentar consertar defeitos de posicionamento. Os zagueiros sempre ficam muito expostos sem a proteção de pelo menos um dos volantes. Provavelmente o número de desarmes do Juninho deve aumentar, caso ele jogue mais fixo na cabeça da área, sem avançar. Blanco pela direita, Magrão pela esquerda e Renan Oliveira avançado pelo centro devem completar o losango do meio-de-campo, com Tony de opção; Auro e Pará ou Ernandes nas laterais, Marion e Hugo, na dupla de ataque.

http://www.otempo.com.br/opini%C3%A3o/a-voz-da-arquibancada/a-voz-da-arquibancada-1.1438685